VIDEO: Sniper Israelense Atira em Palestino Desarmado Ao Som De Aplausos

Um vídeo tem circulado as redes sociais e parece mostrar um atirador israelense atirando em um palestino desarmado ao som de aplausos. As Forças de Defesa de Israel (IDF) disseram que investigarão o incidente.

No vídeo, um homem é ouvido perguntando “Você tem mais bala no fusil?” e “A mira está nele?”

Outra voz, em seguida, diz “Eu não posso ver por causa do fio” e “Há um garoto pequeno lá”.

O atirador, então, dispara contra o palestino, que parecia estar totalmente pacífico. O tiro o derruba no chão. Entusiasmados, outros soldados comemoram. Uma voz diz “Claro que eu filmei”. Outros dizem animadamente: “Uau, que vídeo! Sim! Filho da ****! Que vídeo!” e “Que vídeo lendário!”.

Uma multidão de pessoas é vista indo socorrer o homem baleado.

As filmagens provocaram indignação de ambos os lados do espectro político em Israel, enquanto o IDF prometeu investigar totalmente o incidente.

“No que diz respeito ao vídeo que está circulando atualmente, o evento parece ter ocorrido há alguns meses. O incidente está sendo revisado e será completamente investigado”, disse a IDF.

Yehuda Glick,  do partido Likud e membro do governo , disse que a filmagem é “muito difícil de assistir”, acrescentando que a atmosfera era “perturbadora e decepcionante”, informou o jornal Haaretz.

No entanto,  Oren Hazan, também membro do partido Likud, que foi suspenso do Knesset por assédio sexual e espionagem, tem uma opinião diferente. “Por que toda essa agitação? Foi avisado com antecedência: qualquer um que se aproximasse da cerca, armado ou não, seria atingido. Como deve ser!”, twittou.

Hazan seguiu afirmando que estava orgulhoso dos soldados que defendiam Israel, e que ele espera que a filmagem envie “uma mensagem mais clara para o outro lado”.

De acordo com o protocolo do IDF, qualquer uso de arma de fogo dirigido a protestos requer a aprovação da liderança maior em campo.

Enquanto isso, um franco-atirador pode atirar em qualquer um que se aproxime da cerca da fronteira com a intenção de penetrar em território israelense, com a distância permitida de 100 metros.

Há uma cerca separada na frente da cerca da fronteira, e as regras permitem atirar apenas na parte inferior do corpo de qualquer pessoa que entre no território entre as duas cercas.

Protestos como parte da ‘Grande Marcha de Retorno’ estão ocorrendo na fronteira desde 30 de março, e devem continuar até ‘Nakba’ em 15 de maio – quando os israelenses celebram o Dia da Independência e os palestinos consideram como o dia do êxodo de suas terras em decorrência da criação do estado judeu.

Deixe aqui seu comentário!

Deixe uma resposta